3 de nov de 2016

As dez vantagens de se ter uma estação de radioamador clandestina.

As dez vantagens de se ter uma estação de radioamador clandestina.
Seis meses, um ano e talvez até dois anos na clandestinidade morando longe dos centros urbanos onde as provas para o ingresso no radioamadorismo são raras, até dá para se entender. Mas passar mais de três anos transmitindo em rodadas locais, repetidoras mantidas por radioamadores é realmente complicado.
Claro que como indivíduo você têm o meu respeito, mas como radioamador não. Como posso respeitar algo que você não é?
Mas talvez, você esteja certo em protelar e procrastinar, pois existem algumas vantagens de se manter na clandestinidade. São elas:
1- Pode operar com muito mais emoção, pois ao ser pego pela polícia você está cometendo um crime federal.
2- Nunca será descoberto e poderá se esconder no anonimato.
3- Se uma estação habilitada lhe responde, ela sofre a punição prevista em lei, para você em nada muda.
4- Nunca precisará pagar nada para a Anatel e muito menos pertencer a algum clube ou liga de sua região.
5- Nunca precisará comprovar aos seus pares a sua capacidade técnica e feitos com a troca de cartões QSL por bureau, eQsl, lotw ou Qrz.
6- Nunca terá uma conta no Echolink ou qualquer outro serviço de voip para radioamadores.
7- Nunca precisará usar modos digitais pois como sua estação não têm indicativo nunca terá uma resposta. E se tiver, não poderá provar que realizou.
8 - Nunca precisará aprender CW. Sem indicativo, sem resposta e sem prova de seu esforço.
9- Nunca precisará se preocupar em ter um rádio com tecnologia digital para usar repetidoras com essa fantástica tecnologia.
10- E principalmente, nunca poderá dizer para a sociedade que lhe abriga, que é um radioamador.
Transmitindo dessa forma nas frequências de radioamadores, por mais dinheiro, conhecimento e dedicação que tenha colocado em sua estação, é apenas mais um tipo de QRM nas bandas que nós radioamadores temos que tentar evitar.
Leve esse irônico "puxão de orelha" como um desafio a provar que estou errado e você certo em se manter na clandestinidade.
Agendamento das provas em todo o Brasil, cadastre-se e consulte regularmente:


23 de out de 2016

BDM Club

Oi YL, XYL, OM a BDM Clube 

Este endereço de e-mail para informações a 5 RTTY concurso BDM Club 

informações aqui http://www.on2vhf.be/txt/5contest2017.txt

PSE: informações compartilhar com seus amigos rádio 

ou informação via http : //www.on2vhf.be 

73 de Laurent ON2VHF 

PS: para novo modo digital info in no ar SIM 31 


Informação http://www.sim.on2vhf.be

8 de ago de 2016

Russia Digital Radio Clube.

Prezados radioamadores Russia Digital Radio Club convida-o:
 
 
1-2 outubro - BPSK63, RTTY
 
3-04 novembro - OLIVIA 4-250, THROBX 2, MFSK 4
 
Fizemos muitos prêmios e certificados para todos os participantes.
 

Desejamos-lhe muito sucesso e participação agradável nos nossos concursos e dias de atividade!

17 de jul de 2016

DX & CW


"Venha participar do Grupo DX & CW"


Este grupo é restritamente usado para publicações sobre DX, CW, contestes e outros como por exemplo: tutoriais, vídeos, matérias radioamadorísticas, informações de expedições, ativações, radio-escotismo, esquemas, manuais, projetos, modalidades digitais, QRP, antenas, cartões de QSL e outros...

O administrador agradece,
PY1RJ - Mac

Venha fazer parte deste grupo e compartilhar conosco todas as informações deste hobby tão fabuloso que é o radioamadorismo.

Faça parte do grupo DX & CW e mantenha-se informado por 24 horas.

Obrigado pela atenção e forte 73!


14 de abr de 2016

*ISS transmitindo em SSTV às 00:37 hr de 14/04/16 utilizando rádio ICOM 706-MK2G

Contato da estação espacial ISS em SSTV com Brasil, cidade de São Gonçalo - RJ no dia 14.04.16, em 145.800 MHZ, utilizando rádio ICOM 706-MKGII, software MMSSTV - versão 1.13A, antena MA-6000, em polarização vertical, no grid GG87ld com PY1TV - Oswaldo - Mendes.

3 de fev de 2016

*O PROCEDIMENTO PARA MODIFICAR O ACOPLADOR DO FT-450D

Bem, eu fiz uma pequena pesquisa e aqui estar o método para fazer a modificação. *** Não existem garantias e quaisquer alterações feitas em qualquer rádio tem a possibilidade de danos a sua rádio. *** FAÇA ISSO POR SUA MOD *** RISCO 
Estendendo o alcance da ATU para sintonizar antena de maior impedância é como o G5RV. 
Para estender a faixa de sintonia da ATU para sintonizar antena de maior impedância é como o G5RV entrar no menu oculto por: 
Desligue o rádio utilizando o botão ON / OFF. 
Pressione e segure a ATT / PO, NB, AGC e os botões e ao mesmo tempo, ligar o rádio pressionando o botão ON / OFF. 
Gire o DSP / SEL para encontrar HF1SWR alterar o valor de 85-150, rodando o botão seletor principal.  
Gire o DSP / SEL para encontrar HF2SWR alterar o valor de 85-150, rodando o botão seletor principal. 
Gire o DSP / SEL para encontrar HF3SWR alterar o valor de 85-150, rodando o botão seletor principal. 
Pressione e segure o botão F para 1 segundo para armazenar as novas configurações. 
Desligue o rádio utilizando o botão ON / OFF. 
Ligue o rádio. A ATU será agora sintonizar um G5RV ou antena de impedância elevada semelhante. 

22 de jan de 2016

*Como fazer um QSO em CW?



QSO realizado há 10 PPM ( palavras por minuto ).

Caracteres transmitidos,

Você: CQ DX CQ DX DE PY1RJ PY1RJ AR K

Ele: R PY1RJ DE K4BRA K4BRA AR K

Você: R K4BRA DE PY1RJ TNX FB UR RST 599 5NN OP MAC QTH SAO GONÇALO RJ K4BRA DE PY1RJ AR KN

Ele: PY1RJ DE K4BRA TNX MAC FB UR RST 599 5NN OP MAURO QTH LOCUST GROVE GA PY1RJ DE K4BRA AR KN

Você: R K4BRA DE PY1RJ 73 TKS FER QSO VY GUD K4BRA DE PY1RJ SK

Ele: PY1RJ DE K4BRA TNX FEB QSO 73 TU

Você: TU

17 de dez de 2015

*O radioamadorismo é um hobby ou esporte?

Meus amigos Radioamadores,

Um "radioamador" fez um comentário que o apagão no whatsapp irá ser bom para o radioamadorismo, porque os radioamadores estarão mais ativos no rádio do que no whatsapp.
Esse papo que está rolando sobre o apagão no whatsapp nos sites se trata de uma liminar judicial imposta por um juiz careta, pois bem... não vai ser um apagão de um aplicativo que vai me afastar do radioamadorismo, aja vista que o radioamadorismo na minha opinião não é um hobby é um esporte.

O radioamadorismo é um hobby ou esporte?
Hobby é atividade exercida exclusivamente como forma de lazer, de distração; passatempo.
Então, o que é esporte?
Esporte é a prática metódica, individual ou coletiva, de competição ou qualquer atividade que demande exercício físico, mental e destreza, com fins de recreação, manutenção do condicionamento corporal e da mente e/ou competição "praticar faz bem à saúde física e mental"
Resumo: hobby é apenas um passatempo, esporte não!!!
Esporte é competição como: (CONTESTES), disciplina é como: (técnica e ética operacional), modalidades é como: SSB, CW, AM, BPSK—31, RTTY, JT65, JT9, OLIVIA, etc, etc...
Nós que praticamos o radioamadorismo temos funções dentro desta prática, ou seja, somos QRPistas, DXistas, CWblistas, um pouco de cientistas, entendemos um pouco de eletrônica, construtores e por aí vai...
Somos iguais aos caçadores de animais sendo que nossas caças é totalmente diferente ou seja, caçamos as expedições de DX, caçamos as IOTAS, os faróis, ficamos horas tentando marcar uma figurinha rara. E o que ganhamos com isso?
Ganhamos a satisfação e o prazer de contestar e de colecionar figurinhas raras que são os cartões de QSL de todos os continentes e de lugares totalmente desconhecidos. Perseguimos incansavelmente os cobiçados e venerados diplomas, DXCC, WAZ, WAS, WPX, WAB e outros... fora as majestosas e cobiçadas placas de Honor Roll para expor nas paredes de sua estação assim como os caçadores colocam as cabeças de suas caças também penduradas e expostas como troféus.
O que eu aprendi no radioamadorismo?
Geográfica, física, ética, técnica de operação, sobre o que é propagação, reflexão, geometria, inglês, espanhol, um pouco de eletrônica, ou seja um pouco de cada.
Então, como posso dizer que o radioamadorismo é apenas um hobby (passatempo), não posso!!!
Para quem não entendeu absolutamente nada deste texto, eu vou simplificar, ou seja, vou ser curto e objetivo: Quando você inicia no radioamadorismo sem objetivos ele é apenas um hobby, mas... quando você enxergar objetivos no radioamadorismo ele se torna um esporte ele se torna um desafio e esporte é desafios hobby não.
Pense nisso? Saí da rotina? Busque objetivos dentro da prática do radioamadorismo.
PY1RJ — Márcio - São Gonçalo - RJ

14 de dez de 2015

*RADIOAMADORISMO


Este vídeo foi feito pela Associação Americana de Radioamadorismo (ARRL) em 2003, vemos a importância do radioamador, principalmente quando se trata de emergências ou catástrofes. A divulgação desse vídeo foi autorizada pelo CRAM que fez a legenda para português.

6 de nov de 2015

*Uma história de pontos e traços

Uma história de pontos e traços  


Em 2 de setembro de 1835, Samuel Finley Breeze Morse estendeu um fio de 1.700 pés (cerca de 550 m) entre duas salas de aula da Universidade de Nova Iorque, onde lecionava, e transmitiu uma série de sinais sem significado. O experimento impressionou o estudante Alfred Vail, que o convenceu a desenvolver o sistema na empresa de seu pai em Nova Jersey. Em 6 de janeiro de 1838, Vail passou a seu pai a primeira mensagem, "A patient waiter is no loser" ("Uma espera paciente não é perdida"), utilizando um primitivo código de pontos e traços que formavam números, estes correspondendo a palavras previamente combinadas. Por sugestão de Vail, Morse simplificou seu código para passar a representar o alfabeto.
Um mês depois, Morse demonstrou o telégrafo ao presidente dos Estados Unidos, mas só em 1843 o Congresso liberou a verba de US$ 30 mil para a instalação da primeira linha experimental de telégrafo, entre Washington e Baltimore, acompanhando a rota da ferrovia Baltimore & Ohio Railroad. O primeiro despacho telegráfico na fase de testes foi o anúncio da escolha de Henry Clay e Peter Frelinghuysen na Convenção Eleitoral de 1º de maio em Baltimore.
A demonstração oficial do telégrafo ao Congresso ocorreu em 24 de maio de 1844: do Capitólio, em Washington, perante as principais autoridades do governo norte-americano, Morse transmitiu a famosa mensagem "What hath God wrought!" ("Que obra Deus fez!"), sendo instantaneamente recebida por Alfred Vail no armazém ferroviário de Baltimore, como é relatado na história da Western Union
Essa empresa de comunicações surgiu em 8 de abril de 1851 com o nome de New York and Mississippi Valley Printing Telegraph Company, começando a unificar as inúmeras companhias de telegrafia que já haviam surgido então. Exatamente cinco anos depois adotou o nome The Western Union Telegraph Company, e se notabilizou durante a Guerra Civil nos Estados Unidos. Em 17 de outubro de 1861 foi transmitido o primeiro telegrama transcontinental, entre a Califórnia e a capital norte-americana. Nove dias depois, o governo estadunidense encerrou oficialmente o famoso serviço de correio a cavalo Pony Express.
Antes de Morse – O código Morse resolveu o problema de padronização nas transmissões telegráficas, como relata a União Internacional de Telecomunicações(ITU) na história das telecomunicações (página disponível no seu arquivo, comcódigo de busca), pois cada país possuía então seu próprio sistema de telegrafia e seu código de transmissão, sendo necessário traduzir a mensagem a cada passagem de fronteira.
A primeira Convenção Telegráfica Internacional foi assinada em 17 de maio de 1865, por 20 países. O telefone só surgiria em 1876, a radiotelegrafia em 1896 e a transmissão de voz por rádio em 1920. O primeiro satélite artificial, o Sputnik 1, foi lançado em 1957, e em 1963 foi lançado o primeiro satélite a permanecer em órbita geostacionária, para uso em telecomunicações. 
Em 1989, uma conferência plenipotenciária estabeleceu um comitê de alto nível para estabelecer as bases das telecomunicações para o próximo milênio, face às novas tecnologias disponíveis. Nesse momento, o código Morse começou a ser aposentado.

28 de out de 2015

*YouTube - PY1RJ

Olá amigos radioamadores,
Obrigado pela atenção de todos eu gostaria de fazer um convite aos radioamadores para que se inscreva no meu canal no You Tube, fico feliz por compartilhar meus vídeos com amigos radioamadores e gostaria que a quantidade de inscritos aumentasse ainda mais, por isso, peço sua ajuda para compartilhar o link de meu canal em grupos de radioamadorismo no facebook ou em páginas na web. Ficarei grato por sua ajuda, forte abraço e tenhas um bom restinho de ano. 
Inscreva-se!!!



*Radio escuta - SWARL

O informe de recepção da rádio-escuta praticada pelos rádio ouvintes constitui-se no principal elemento de contato entre os radio ouvintes e as estações emissoras de radiodifusão (broadcasting), sendo que adquirem vital relevância nos casos de estações internacionais, porque através destes informes as estações de radiodifusão ficam sabendo em que condições são ouvidas, quais as frequências que são melhores e quais os horários mais convenientes.
Na prática existem dois tipos de radio ouvintes :
1º - Aqueles rádio ouvintes que estão preferencialmente interessados em caçar e conseguir emissoras diferentes e exóticas para conseguir e obter a confirmação dos seus informes de recepção, esta atividade lhes da o nome de rádio-escuta.
2º - Aqueles rádio ouvintes que buscam na recepção do radio uma fonte de informação e de conhecimentos culturais, linguisticos, humanos, geográficos, uma espécie de Internet nas ondas Hertzianas.
Cópia do CERTIFICADO DE RÁDIO-ESCUTA do autor deste artigo
Os primeiros são os rádio-escutas " DX'istas ", que possuem essa atividade como hobby, de maneira similar aos dos radioamadores
Os Cartões QSL de que os rádio-escutas remetem para as estações de radio difusão são muito bem aceitas por estas emissoras pois estes cartões representam fielmente de como esta sendo efetuada a recepção de seus sinais no receptor de rádio do ouvinte, na maioria das vezes a muitos milhares de kilometros da antena transmissora.
Os segundos são pessoas que apreciam a rádio-escuta, para aumentar seus conhecimentos culturais, turísticos, linguisticos e políticos, são radio ouvintes, muitas vezes seguidores de tal ou qual emissora e em particular de algum programa especialmente.
Tanto os primeiros como os segundos geralmente mantém em especial contatos com as estações emissoras, tanto pelo ponto de vista mais pessoal ou dando a conhecer desde a óptica técnica das condições de como chegam os sinais até o receptor.
INFORMAÇÃO NECESSÁRIA
Aqui é onde começa o importante e necessário papel do rádio ouvinte, que precisa desenvolver a técnica da rádio-escuta, já que pouco ou de nada valeria as estações de radiodifusão lançar seus sinais com programas no ar sem ter a certeza de que estes sinais chegam em boas condições de inteligibilidade nos receptores dos destinatários.
Para os responsáveis destas estações emissoras é imprescindível saber se suas transmissões são interferidas por sinais de outras estações, ou se a freqüência utilizada esta apta ao serviço radiofônico ou se as condições de propagação estão contribuindo para o êxito da transmissão.
Estas restrições acima referidas podem permitir que façamos um artigo sobre cada uma delas, porém como não é o objetivo deste trabalho comentarei somente por cima de algumas particularidades, como por exemplo a eleição da freqüência de trabalho, que não é algo que todas
as emissoras podem ter, apenas pretender.
As grandes potências radiofônicas dispõe de grandes quantidades de frequências ao seu dispor, muitas vezes nos melhores seguimentos do expecto radioelétrico, apenas este fato obriga a outras estações emissoras de menor porte a transmitir em frequências menos adequadas e portanto com inferiores possibilidades de êxito, estas emissoras menores, inclusive, são obrigadas a alugar frequências daquelas emissoras que possuem maior disponibilidade.                          

Por outra parte, a desigual repartição de frequências tem outras conseqüências, uma delas é a produção de interferências por parte das estações de rádio que transmitem fora da banda,
interferências também causadas pelas estações de rádio que transmitem com enormes
potências, solapando as vezes de propósito, programas de países politicamente inconvenientes.
As grandes estações de rádio pertencem atualmente aos países mais ricos, porém nem sempre foi assim.
A poucos anos atras a Rádio Tirana localizada na Albânia (Europa), era uma das estações de rádio transmissão mais poderosa do mundo, apesar do pais ser extremamente pobre e não possuir relevância internacional, era a Republica da China que ajudava financeiramente a manter as potentes instalações da Radio Tirana e uma gama muito ampla de programas irradiadas para o mundo todo em quase todos os idiomas.
Deterioradas as relações com o pais asiático, a Radio Tirana entrou em um profundo declínio, desaparecendo.
Os serviços técnicos das estações radiofônicas acumulam informações próprias para melhorar a qualidade das transmissões e sempre com a ajuda dos rádio ouvintes, certas estações possuem pessoal voluntário próprio para colaborar com os serviços técnicos das emissoras.
ENVIANDO DADOS
Esta claro de que os rádio ouvintes tem um papel fundamental para o mantenimento da programação, desde o ponto de vista técnico ao dar conhecimento das frequências que são utilizadas, a qualidade das mesmas, qual o lugar em que é feita a escuta, com que receptor, etc..
Este conjunto de dados é que constitui o informe de recepção, que para comprovar sua veracidade deve ir acompanhado de uma serie de outros informes e de comentários relacionados com o programa escutado.
No caso de que os dados estejam corretos, será contestado com um Cartão QSL da estação de rádio, geralmente acompanhado com uma serie de material publicitário, propagandistico, turístico, etc., sempre dependendo do pais de origem da estação de rádio.
Com o tempo o rádio-escuta pode chegar a possuir uma estupenda coleção de Cartões QSL e lembranças das emissoras de lugares diferentes do mundo e exóticos.
Em certas ocasiões o material que se recebe das estações de rádio poderá ser muito interessante e bonito.
Fazer um informe de recepção e tão simples como escrever um bilhete, já que não se trata de fazer um elaborado estudo técnico, mas apenas oferecer aos responsáveis da emissora pistas necessárias para saber como chega o sinal da estação emissora no local em que esse sinal esta sendo escutado.
Existem impressos padronizados e preparados para facilitar o preenchimento dos dados, o informe de recepção pode também fazer parte de uma carta normal do rádio ouvinte endereçada a emissora na qual esteja também incluídos outros conteúdos como comentários pessoais, dia e hora da escuta, relação dos programas escutados, avaliação dos programas, tipo de antena, marca do receptor etc..
Ainda que para os menos avisados possa parecer algo complicado, insisto em que não é, ademais as emissoras de rádio sabem que quem envia o informe de recepção é simplesmente um rádio ouvinte e não um especialista em transmissões radiofônicas, por tanto não a exigência de que o ouvinte demonstre ter altos conhecimentos técnicos específicos.
O fundamental é comunicar certos aspectos com grande clareza, entre eles cito os principais :
O nome da estação que foi escutada; o dia e a hora da escuta, o horário deverá ser anotado em UTC ( Unidade de Tempo Coordenado) ou GMT ( horário de Grenwith); o programa escutado; dados do programa; freqüência; os defeitos na freqüência; a banda em metros; sendo que, o sinal recebido deverá ser anotado no código SINPO; marca e modelo do receptor utilizado na escuta; o tipo de antena empregada; local onde se fez a rádio-escuta; se na zona rural ou na zona urbana; nome e endereço do ouvinte, e deve constar também se deseja ou não a confirmação do informe com o Cartão QSL da emissora.
Os dados devem ser anotados com simplicidade e total clareza, principalmente sem exageros sobre a qualidade do sinal recebido.
Gostaria de lembrar de que não ajuda em nada os técnicos das estações emissoras se forem fornecidos os controles do sinal melhor do que realmente foram recebidos no receptor.
Não creia que seja melhor, nem obtém-se mais lembranças da estação emissora por dizer de que a recepção do seu programa foi magnifica, quando na realidade isso não aconteceu.
Outro conselho é escrever no mesmo idioma em que o programa foi transmitido.
É dizer, se o programa foi transmitido em língua espanhola, devemos escrever a seção hispano-americana da estação emissora em espanhol, evitando totalmente acrescentar termos em outros idiomas como por exemplo :
P. O. BOX ou Caixa Postal etc., mencionando apenas Casilla del Coreo.
É imprescindível reportar detalhes do programa escutado.
O nome do programa apenas não é valido, se não estiver complementado com um resumo do que foi escutado, alguma frase lateral ou alguma canção cobrindo de pelo uns quinze minutos de recepção.
Não é obrigatória, mas sempre são bem vindas as sugestões sobre o programa escutado, especialmente se tivermos em conta de que os responsáveis pelo programa estão a muitos milhares de kilometros de distância e que o seu único vínculo com o ouvinte é precisamente através das cartas recebidas.
O INFORME DE RECEPÇÃO
Para enviar os dados da escuta não há necessidade para o rádio ouvinte recorrer a nenhum impresso especial, bastando apenas anota-los na carta a ser enviada à emissora, porém cada ouvinte ou rádio-escuta pode fazer seus próprios impressos para o informe de recepção, aproveitando as facilidades de faze-los através do computador com um programa de textos.
Também é bastante interessante empregar os impressos de informe de recepção que são fornecidos pelas próprias estações emissoras que facilitam a vida dos rádio ouvintes, estes impressos cobrem todos os conceitos por nós acima indicados e explicados.
Anoto ainda como conselho, o melhor é ir completando o informe de recepção a medida que se vai fazendo a escuta, desta forma evita-se de esquecer algum pequeno detalhe da transmissão, posto que, desta maneira estaremos demonstrando realmente de como a escuta se realizou sem omitir nenhum detalhe por menor que seja.
Não se deve deixar de mencionar no informe de recepção a marca, o modelo e a antena do receptor utilizado na escuta.
De nada serve aos técnicos da estação emissora quando o nome do receptor vem anotado no informe genericamente : como um portátil; um multibanda; um transistorizado, e assim afora, pois os técnicos das emissoras conhecem a qualidade de áudio de cada um dos receptores.
Também não é a mesma coisa dar uma reportagem com 4 de sinal e 5 de interferência usando um receptor de alta qualidade e informando o nome de outro receptor de qualidade inferior.
O mesmo cabe dizer da antena :
Os valores recebidos por um excelente receptor e utilizando uma antena de fio longo, são menos espetaculares do que quando se obtém essa mesma escuta com um pequeno portátil a pilhas e antena telescópica.
Também deve ser frisado onde foi realizada a escuta, se em zona rural ou urbana, porque nas zonas rurais a recepção é infinitamente melhor
Por ultimo, somente resta solicitar as estações rádio difusoras de que nos enviem o material de lembranças quando lhes seja possível,antes ou depois do Cartão QSL, segundo a emissora possa, assim iremos recebendo as lembranças e as confirmações com o Cartão QSL das estações emissoras seguros de enorme ilusão, também iremos completando nossa coleção de Cartões QSL que não somente demonstrará que desfrutamos do encanto das ondas curtas e fica muito claro de que tivemos tido com ela outra serie de conhecimentos culturais, linguisticos, humanos, turísticos, geográficos, políticos, e outras índoles que somente a faceta da rádio recepção oferece aos seus rádio ouvintes.

Tire aqui seu indicativo de radio escuta: http://swarl.org/


*Como chamar uma Expedição DX

Como chamar uma Expedição DX
Ao contrario do que muitos pensam, as expedições DX são organizadas com a finalidade de proporcionar aos DX-men a oportunidade de incluírem em seus créditos países raras.
Em geral, essas expedições transmitem de ilhas desabitadas, tais como as de São Pedro, São Paulo etc., o que desperta o interesse dos “caçadores de figurinhas difíceis” já que essas expedições só se realizam com intervalos de anos, em razão de seu alto custo.
Justamente por isso, é feita com bastante antecedência uma ampla divulgação através dos QTC’s de boletins remetidos para as diretorias seccionais e mesmo pela faixa, a fim de que todos tomem conhecimento delas, em todo o mundo. Essa divulgação menciona as freqüências a serem usadas horários, datas, modalidades de operação etc.
Cada operação do equipamento geralmente dura apenas algumas horas, já que este é alimentado por pequenos geradores ou por baterias. Os operadores são radioamadores altamente treinados e ótimos telegrafistas, dotados de espírito de aventura, uma vez que permanecerão por algum tempo em uma região desabitada e as vezes inóspita.
O radioamador interessado em contatar com tais expedições deve fazer vigília com escuta apurada, e talvez tenha de esperar alguns dias alem da datada marcada para conseguir o contato. Ocorre que nem sempre expedição pode chegar na data certa ao local da operação. Quando finalmente conseguir ouvir o CQ esperado, deve ter calma. Possivelmente centenas de outros radioamadores de todo o mundo, que também estavam na escuta o ouviram. A tentação natural é começar a chamar a expedição, pedindo oportunidade, e isso talvez provoque a perda do contato. Alem de tumultuar a faixa, concorrerá para que outros sejam prejudicados.
Eis algumas regras que achamos válidas:
  1. Descubra primeiro a frequência exata em que ouviu a expedição chamando. Essas estações só respondem aos chamados de estações que estejam “bite-zero” com elas, desprezando as demais que se anunciaram nas laterais. Não condene o operador por isso. Esse procedimento é valido, por causa do QRM existente nos locais destas operações, e mesmo porque o operador não pode sair da freqüência anunciada previamente, para não prejudicar os demais;
  1. Preste bem atenção para certificar-se de que expedição não esta fazendo um CQ dirigindo a outra área que não seja a sua, pois essa expedições usam antenas direcionais. Se isso estiver ocorrendo, não adiantará você pedir oportunidade porque não será atendido. Se tentar, mesmo assim, nada lucrará e irá interferir na comunicação dos outros que estão localizados na área chamada;
  1. Se você chamar em fonia, faça-o apenas uma vez, frisando bem o indicativo da estação-expedição e,logo a seguir, mencione seu próprio indicativo de maneira clara, pausada, sem gritar, usando o código internacional, repetindo duas ou três vezes o seu indicativo e o nome de sua cidade, usando o mesmo código. Não diga mais nada, alem do QTH, a não ser se lhe for solicitado pelo operador da estação de expedição. Limita-se então, a ouvir o que o operador tem para dizer a você, como por exemplo: para onde enviar o seu QSL etc. só diga seu nome se lhe for solicitado. Nesse tipo de QSO não se bate papo perguntando como é o local etc. ainda uma observação: para melhor rendimento de sua estação não aumente o nível de transmissão, pensando que será melhor copiando. Use o nível exigido pelo transmissor pelo transmissor com o qual você opera costumeiramente. O aumento provocará distorção em sua modulação e esta não será bem copiada;
  1. Se você for operar em CW, são validas as mesmas instruções dadas acima para a fonia, com exceção do nível de áudio. Procure chamar a expedição na mesma velocidade utilizada pelo operador. Seja breve e respeite o QTR do colega, limitando para muitos QSOs, propósito que motivou sua ida naquele local. Envie a reportagem numérica como o recebe em CW e só passe o seu QRA se for solicitado por ele. Terminando, deixe a freqüência e não volte chamá-lo uma segunda vez na mesma faixa e na mesma modalidade. Não é demais lembrar a obrigatoriedade moral de enviar o seu QSL para o local indicado por ele; afinal de contas, ele bem o merece.


Como Realizar um QSO-DX em Português, Espanhol e Inglês

O radioamador que não domina o idioma espanhol ou o inglês ou qualquer outro em geral alega pela faixa que “não gosta” de fazer DX, preferindo “bater papo” com os colegas brasileiros. As vezes, mas que, no fundo, gostaria de também fazer os seus DXs.
Procurando colaborar com todos, organizamos este QSO padrão em português, espanhol e inglês, com a grafia correta e as respectivas anunciar corretamente as palavras, para se fazer entendido.
Antes, porem, gostaríamos que tomassem nota destas regras, que achamos muito importantes:
a) em DX  não se efetuam rodadas. Fala-se menos possível, só o estritamente necessário, como: reportagem dos sinais recebidos, seu QRA, seu QTh (caixa postal) e sua cidade, porque a propagação pode fechar e você não completar o comunicado;
b)não de todo o nome, muito menos o seu sobrenome. Basta o QRA de rádio e, sempre que possível, abreviado, p. ex: José Maria, pode ser Zemaria; Alberto, pode ser, Al, Francisco pode ser Fran etc;
c) em Dx não se fornece nem se pede QTH completo, em geral, dá-se apenas a caixa postal (P.O Box ou Apartado Postal) da Diretoria Soccional da LABRE da cidade ou da sua própria;
d) é uma regra geral fornecer de imediato a intensidade dos sinais recebidos;
e) observa-se sempre a regra internacional de mencionar em primeiro lugar o indicativo de chamada do colega e por ultimo o seu próprio indicativo.
f) evita-se sempre que possível, a mudança da freqüência; corre-se o risco de perder a “figurinha” já pescada, pois, em outra freqüência, talvez você não possa localizar ou ele não queira se ausentar do local onde se encontra. Muitas vezes aquela figurinha já tem um QSL de sua cidade e não se interessa muito por outro, o seu. Como você é que esta interessado,controle o canal e termine o QSO na mesma freqüência em que o iniciou;
g) a palavra “breique” (break) faça-o apenas 3 vezes seguidas, mencionando logo seu indicativo e sua cidade e pais;
i) não já necessidade de você passar e pedir o QTR; basta você anotar no seu livro de registro para depois transcrever no QSL; não use hora PY, adote sempre GMT para facilitar e conferencia;
j) nunca use palavra de gíria; adote somente vocabulário vernáculo empregado no radioamadorismo;
k) muitas vezes você terá que enviar junto com seu cartão de QSL , o IRC, isso é “Cupom Internacional de Resposta”. Muitas “figurinhas difíceis”  só enviam o QSL se receberem o  IRC, que pagará a remessa do cartão dele para você. Se estiver interessado em receber aquela “preciosidade”, é só agir. O IRC será encontrado em qualquer agencia de correio de sua cidade. Para os colegas das Américas manda-se 2 IRC; para os da Europa e África, 3 IRC, para os da Ásia e Oceania, 4 IRC e,para as estações DX-Pedition (Estações Expedição), envia-se o dobro, de acordo com o pais onde ele se localiza. Geralmente as estações especializadas em DX possuem o seu manager “administrador” encarregando de receber e enviar o QSL’s. Mesmo que o manager de alguma “figurinha difícil” more junto ao seu QTH, você terá de enviar os IRC’s de praxe.


Padrão de QSO-DX em Português, Espanhol e Inglês


CHAMANDO: Em Português: CQ DX, CQ DX, CQ DX. Estação brasileira, PY... (indicativo e cidade) chamou CQ DX e passa a escuta.
Em Espanhol: CQ DX, CQ DX, CQ DX. Una estación brasileña, PY... llamando CQ DXm atento em La Frecuencia.
(Pronuncia figurada: CÊ KU DI EX, CÊ KU DI EX, CÊ KU DI EX. UMA ESTACIÓN BRACILHENHA, PÊ IGREGA... LHAMANDO A CÊ KU DI EQUICE, ATENTO EM LA FRECUENCIA.)
Em Inglês: CQ DX, CQ DX, CQ DX. This is brazilian station PY... calling CQ DX. Over.
(Pronúncia figurada CI KIU DI EKS, CI KIU DI EKS, CI KIU DI EKS. DIS IS BRASILIÃN STEICHAM, PI UAI... COLIN CI KIU DI. OVER)
Contestando: em Português WB4-ABC  -  WB4-ABC  -  WB4-ABC . Esta é PY... do Brasil, contestando. Adiante.
Em Espanhol: WB4-ABC  -  WB4-ABC  -  WB4-ABC. ESTA ES PY... contestando. Adelante.
(Pronuncia figurada: DABLIU BÊ CUATRO ABC - DABLIU BÊ CUATRO ABC - DABLIU BÊ CUATRO ABC. ÉSTA ÉS PY... CONTESTANDO. ADELANTE.)

Em Inglês: WB4-ABC  -  WB4-ABC  -  WB4-ABC . This is PY... calling. Go ahead.
(Pronuncia  figurada: DABLIU BI FOUR EI BI CI - DABLIU BI FOUR EI BI CI - DABLIU BI FOUR EI BI CI. DIS IS PI UAI... COLIN. GOL ARRED.)
QUANDO TIVER DÚVIDA NA RECEPÇÃO: (Nota: quando você não compreender bem o indicativo do colega com quem deseja falar, ou ao ouvir bem seus sinais, não insista. Peça desculpas e volte a chamar geral.)
REGRA Nº 1 – (Quando não compreender seu indicativo):
Em português: QRZ? QRZ? QRZ? PY... Pergunta QRZ?
Em espanhol: QRZ? QRZ? QRZ? PY... Pergunta QRZ?
Pronuncia figurada: KIU EER ZETA? KIU ERR ZETA? KIU ERR ZETA? PÊ IGREGA... PREGUNTA KIU ERR ZETA?)
Em inglês. QRZ? QRZ? QRZ? PY... calling QRZ?
Pronuncia figurada KIU AR ZED? KIU AR ZED? KIU AR ZED? PI UAI... COLIN KIU AR ZED?)
REGRA nº 2 – (Quando não se copia bem o colega, mas se deseja firmemente um QSO com ele):


Em português: sinto muito. Mas não posso copiá-lo. Por favor QSY uns 5 kHz (ou MHz) acima (abaixo). Cambio.
Em espanhol: sinto mucho. Yo no lo copio. Por favor QSY 5 arriba (abajo). Adelante.
(Pronuncia figurada: SINTO MUCHO. IO NO LO COPIO, POR FAVOR KU ESS IGREGA CINCO ARRIBA (ABARRO). ADELANTE.)
Em inglês. Sorry. I can’t copy. Please QSY abou Five kHz (MHz higher (lower). Over, please.
(Pronuncia figurada) SORI. AI KENT COPI. PLIS KIUS ESS UAI FAIV QUILOHERT (MEGAHERT) ABAUT (LOUER). OVER PLIS.
REGRA n. 3 (Quando a propagação não está boa)
Em Português: Sinto muito. Mas não posso copiá-lo. As condições de propagação não estão boas.
Em espanhol: Sinto mucho. Yo no lo puedo copiar. Lãs condições de propagación estão muy males.
Em ingles: Sorry very much. But i can’t copy you at all. The conditions of propagation are too bad.

AGRADECENDO UMA CONTESTAÇÃO:
Em português: YV5-VI  -  PY ... Agradeço-lhe muito por haver contestado meu chamado.
Em espanhol: YV5-VI  -  PY ...Muchas gracias por haberme contestado.
Em Inglês: YV5-VI  -  PY ... Thank’s a lot for calling me.

PEDINDO UM BREIQUE:
Em português: Breique! Você me copia bem?
Em espanhol: Break! Me copia usted bien?
Em inglês: Break! Are you copying me ok?

CONVERSAÇÃO EM GERAL, AGRADECENDO CONTESTAÇÃO:
Em português: obrigado por haver retornado para mim.
Em espanhol: Gracias por retornar para mi.
Em inglês: Thank you very much for coming back for me.

FORNECENDO NOME E ENDEREÇO
Em português: Meu nome é... meu sobrenome é... Meu QRA e QTH estão completos em qualquer (no ultimo) Call Book. Minha caixa postal é ... Minha é ...
Em espanhol: Mi nombre es... Mi apelido es. Mi QRA y mi QTH estão correctos em cualquier (em El último) Call Book. Mi apartado postal es... mi ciudad é...
Em inglês: My name is... My surmane is ... My QRa and QTH are correct is the (last) Call Book. My P.O Box is … my city…


PEDINDO CONFIRMAÇÃO DO NOME E ENDEREÇO:
Em português: Diga-me por favor se o seu nome e endereço (QRA e QTH) estão corretos no (ultimo) call book.
Em espanhol: Dígame por favor si su QRA y su QTH están correctos en El (ultimo) Call Book.
Em inglês: Please tell me If your QRA and QTH are correct in the (last) Call Book.
DANDO REPORTAGEM DE SINAIS:Em português: Estou recebendo-o com R (um, dois, três, quatro, cinco)e S (um, dois, três, quatro, cinco, seis, sete, oito, nove.), com (dez, quinze, vinte) decibéis acima.
Em espanhol: Lo estoy recibiendo con R (um, dos, três, cuatro, cinco) y S (um, dos, três, cuatro, cinco, seis, siete, ocho, nueve) con (diez, quince, veinte) decibeles arriba.
Em inglês: I AM receiving you with R (one, two, three, four, Five) and S (one, two, three, four, Five, six, seven, eight, nine) with (tem, fifteen, twenty) D. C. About.

PEDINDO CARTAO DE QSL:
Em português: Por favor mande-me seu cartão de QSL diretamente
Em espanhol: Por favor envie su trajeta QSL directamente.
Em inglês: Please send your QSL card directly.

AGRADECENDO UM QSO:
Em português: Agradecido por este magnífico. Boa sorte: e 73.
Em espanhol: Gracias por este magnífico QSO. Buena suerte y 73.
Em inglês: Thank you very much for this fine QSO. Good luck and 73.

*DX

DX, em radioamadorismo é sigla que significa um contato a longa distância. É também um passatempo em que se ouve emissoras de radiodifusão em longas distâncias. No conceito geral, DX é a exploração das ondas eletromagnéticas através de receptores, cujo o praticante "caçador" dexista capta sinais que são possíveis depois de esperar um certo tempo e aprendizagem, difere-se do rádio-escuta e do rádio-amador por ser considerado um hobby sem emitir qualquer transmissão.
A prática do DX é exercida desde o início do século XX, este hobby também é chamado de "radio escuta DX".
Para se executar um DX, tanto radioamadores (transmissão, recepção), quanto aficcionados da radioescuta (somente recepção), necessitam de certas condições ideais de clima, propagação, equipamentos, etc.

Radioescutas

Um ouvinte que está acompanhando a programação de uma determinada emissora, pode ser considerando um radioescuta, a audição de estações locais, e de qualquer modo que esteja apto (como ocasionalmente os rádios-amadores) a ouvir determinados sons. No território brasileiro a uma determinado lugar em que possa acompanhar um resultado de um campeonato que está ocorrendo, por exemplo assim como buscar informações. Hoje, dispensado pelo uso da internet, e que pode persistirem a agências que monitoram regiões de conflito e coletar os dados. 

Radioamador

Estes agentes procuram-se manter em comunicação para checar o funcionamento de certas transmissões, é necessário saber sobre âmbitos físicos focados a elétrica e a eletrônica, assim como localização de locais e direcionamento para o seu dialogo. Seguindo determinadas normas, como o uso de frequência autorizadas e licença para emitir através dos equipamentos, exigidas por cada nação e uniformemente a UIT (União Internacional de Transmissões).

Ouvintes de ondas curtas

Monitor de rádio internacionalReferindo-se também a Shorwave listeners. Tem por dedicação a sintonia emOndas Curtas (corresponde a 17000 kHz à 30 mHz máximo de cobertura). A um dial mundialmente repleto de rádios, muitas vezes, pelo interesse de acompanhar programas de tal segmentos, como esportenotícias e músicas. E participar de promoções oferecidas, aonde adquirem cartões de confirmação de recepção (por extenso ou em cartões SQL). 
É um ouvinte, como citado acima, que repassa as verificações feitas de como está a qualidade do sinalfrequências em operação, conforme a passagem secular. Auxiliando aos engenheiros de aperfeiçoar a transmissão para ampliar o alcance.

Dexista

O vocábulo "DX" destinado especialmente a estes profissionais significa distância pelo motivo de caçar sinais oriundos a quilômetros de extensão, nas quais não é possível conseguir em condições normais, como de clima e de relevo, reservado a sua perseverança. Podendo ser tanto com a modulação de amplitude (Ondas médias e Ondas Curtas), quanto a de frequência modulada. Logo, "D" de distância e "X" a letra matemática que representa algo misterioso.

Dexismo

É definido como a prática de capturar transmissões distantes, proveniente de lugares longes do ponto de sintonia. Em relação aos serviços internacionais, para o ser conceituado, deve estar fora da área de abrangência da emissora em questão. Dentro de um espaço limítrofe de um Estado, deve considerar que seja de grandes dimensões, como o Brasil, evitando a utilização inapropriada de dexista para captações de estações da mesma cidade em que está, ou em suas cornubações.